domingo, 10 de dezembro de 2017

São Tomás de Aquino revela os truques do diabo contra homens


Das mentiras à indução ao pecado: esteja ciente das ciladas do maligno, que normalmente age de maneira invisível

Na coletânea de discursos do Papa Francisco editada por Diego Manetti e intitulada em italiano “Il diavolo c’è” (“O diabo existe”), há citações do Santo Padre a pelo menos dois escritos de São Tomás de Aquino, que, ao longo da sua vasta obra, deixa descobertos vários truques do diabo em seu modo de nos induzir ao pecado.
Um desses escritos é o “Comentário ao Evangelho de São João“, em que o frade teólogo explica:
“‘Não perseverou na verdade’. A este respeito, deve-se notar que existem dois tipos de verdade: a verdade da palavra e a verdade das obras. A verdade da palavra é quando se fala com a boca o mesmo que se pensa no coração e que corresponde à realidade […] A verdade da justiça, ou das obras, é quando realizamos o que nos compete segundo a ordem da nossa natureza. O Senhor acenou a isto ao dizer: ‘Quem obra a verdade vem à luz, para que se veja claramente que as suas obras foram feitas em Deus’”.
São Tomás observa, em relação a esta verdade e no tocante ao diabo, que ele “não perseverou na verdade” da justiça porque abandonou a ordem da sua própria natureza, que era a submissão a Deus para receber d’Ele a bem-aventurança e a satisfação do próprio anseio natural. Ao tentar obter a satisfação contando só consigo mesmo, ele se apartou da verdade.

Como o diabo nos induz ao pecado

Na Quaestio disputata de Malo, q. 3, art. 4/58, São Tomás nos explica dois modos pelos quais o diabo tenta induzir o homem a pecar.
“O diabo pode induzir o homem a pecar persuadindo-o internamente. O diabo move a vontade do homem como alguém que persuade […]. O diabo engana […] movendo os espíritos animais e humores internos do corpo, cujo movimento origina aquelas representações. É capaz de impedir o uso da razão, como nas possessões. […] O demônio é chamado de tentador porque sonda os homens a fim de saber por quais representações eles são mais subjugados.
[…] Deve-se dizer que, como afirmado acima, o diabo não pode ser a causa do pecado do homem como alguém que mova diretamente a vontade, mas apenas como alguém que persuade. Ora, ele persuade o homem a fazer algo de duas maneiras: de maneira visível e de maneira invisível”.
De modo visível, o diabo age quando se manifesta sensivelmente sob certa forma e, também sensivelmente, fala ao homem tentando persuadi-lo a pecar. Foi este o caso quando ele tentou o primeiro homem no paraíso, sob a forma de serpente, e a Cristo no deserto, aparecendo-lhe também de modo visível.
São Tomás observa, no entanto, que o diabo não persuade o homem apenas desta maneira: normalmente, somos instigados a pecar sem que seja por indução de uma aparição visível do diabo – ou seja, ele age invisivelmente, mediante a persuasão interna descrita na passagem citada acima.

https://pt.aleteia.org/2017/12/08/sao-tomas-de-aquino-revela-os-truques-do-diabo-contra-homens/?utm_campaign=NL_pt&utm_source=daily_newsletter&utm_medium=mail&utm_content=NL_pt

Formação sobre Intercessão Católica 5#


Resultado de imagem para intercessão
Interessante notar como aqueles que estão intimamente ligados a Deus pensam como Ele. São Josemaría Escrivá argumentava que “a nossa vida de apóstolo vale o que vale a nossa oração”, já Santo Agostinho ia mais além dizendo: “ser orante, antes de ser orador. Falar com Deus, mais do que falar de Deus. Teu desejo é a tua oração; se o desejo é contínuo, também a oração é contínua”. E para não deixar de fora outro grande doutor da Igreja, dizia Santo Antônio: “A oração é uma demonstração de afeto para com Deus, uma conversa afetuosa e familiar com Ele, um descanso da mente esclarecida, que procura aproveitá-lo o máximo possível”. – E aqui podemos citar a oração em línguas.

Devemos amar o nosso próximo, ou porque ele é bom, ou para que ele se torne bom. (Sto. Agostinho) Não cabe ao intercessor diagnosticar quem está mais ou menos necessitado, quem merece ou não a nossa oração, nossa missão é orar por todos, pois só a Deus cabe o julgamento.

Madre Teresa de Calcutá dizia que “nesta vida, não podemos realizar grandes coisas. Podemos apenas fazer pequenas coisas com um grande amor”. A participação do intercessor orando em favor do próximo, pode muitas vezes aparentar uma pequena coisa para nós, tão insignificante que não faria falta a nossa presença no grupo, mas fique certo que uma torre só se eleva quando tijolos, um a um, são acrescentados à parede. Sua oração sempre será o tijolo que Deus precisa para a construção do Reino...

Ricardo Feitosa e Marta Lúcia

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

SOBRE DESISTIR


Com certeza temos muitos motivos para desistir, muitas vezes nada nos favorece. Vivemos debaixo de um sistema opressor, injusto, líquido, superficial. Um sistema que procura o lucro a todo e qualquer custo.
Mas se desistirmos, o que falaremos pros outros, que testemunho daremos, que evangelho pregaremos?
Para aquele que está cansado, desanimado, sem esperança: medite na cruz! Tudo nasce a parti dali. Nova esperança, entusiasmo, ousadia. A cada passo que damos em direção a Jesus Cristo, Ele dá dois para vir em nosso encontro.
Não desista, dê o seu passo... Comece por dentro!
Sê tu perseverante na busca pelas coisas do Reino!

By Marcelo Mattityahu

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Oração contra a inveja


“Vem, Espírito Santo de Deus, blindar-me com Teu poder para me proteger contra os invejosos, que querem prejudicar a mim e a meus familiares”

“Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim. Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós.”
(Mt 5, 11-12)

Em nossas vidas, muitas vezes pensamos que o mal não existe e, por isso, não nos protegemos. Podemos ser vítimas e, mesmo que contra a nossa vontade, agentes do mal. Quantas vezes você não se pegou desejando o bem que alguém tenha adquirido?  Sim, o mal existe e temos que estar vigilantes contra qualquer sentimento que não é oriundo de Deus. Como fazer isso? Através da oração, que é nossa maior arma contra todos os malefícios, principalmente a inveja.
Abaixo, um exemplo de oração simples e bela que vem circulando pela internet. Sua autoria é desconhecida.
Oração contra a inveja
Neste momento em que me encontro em oração nos Teus braços Jesus, Te peço a graça de ser livre deste veneno que é a inveja, trazida ao mundo por satanás. Senhor, peço que venhas em auxílio de minhas fraquezas e de minhas fragilidades.
Entrego de todo coração a Ti, Senhor, todos os momentos que experimentei o sentimento de inveja, seja com amizades ou bens materiais. Te peço Espírito Santo, que venhas sobre meu coração e sobre minha vida, libertando-me das raízes da inveja.
Vem, Espírito Santo de Deus, dá-me um coração puro e simples, que se alegra com aquilo que sou e que tenho. Vem, Espírito Santo, abrir meus olhos para as riquezas que possuo.
Vem, Espírito Santo de Deus, blindar-me com Teu poder para me proteger contra os invejosos, que querem prejudicar a mim e a meus familiares.
Eu renuncio TODA INVEJA em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Amém!

https://pt.aleteia.org/2017/03/09/oracao-contra-a-inveja/

10 surpresas da adoração frequente


Acredite: você vai se apaixonar ainda mais por Jesus Eucaristia!

A Eucaristia é descrita no Catecismo como a “fonte e ápice” da nossa fé. Encontrar o tempo para ir a Adoração pode ser difícil. Mas se você conseguir fazer isso acontecer, comprometer-se a ir a  Adoração regularmente, com coração aberto, podem acontecer alguns resultados surpreendentes.
Enquanto eles estavam comendo, Ele tomou o pão, e depois de uma bênção Ele partiu o pão, e entregou a eles e dizendo: “Pegue-o; Este é o meu corpo. “E quando Ele tomou o vinho e deu graças, Ele deu a eles, e todos beberam disso. E disse-lhes: Este é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado por muitos. (Marca 14: 22-24)
Na cultura de hoje, a ideia de progresso interior é drasticamente subestimada; muitas vezes é considerado um desperdício de tempo ou algo de nossos antepassados ​​ingênuos. Geralmente, apenas o progresso exterior e mais palpável vale a pena. A principal diferença entre os dois (material e espiritual) é que o progresso material permanece fora de você. Ele oferecerá certas sensações positivas, mas sempre colorido com um tipo de ocorrência passageira e inconsistente. Um progresso interior, por outro lado, significa que é você quem é mudado. O tempo que você gasta adoração pode surpreendê-lo de dez maneiras:
1. Você desenvolve a capacidade de admirar e se maravilhar.
© Rino Peroni / Flickr

Não há nada como a atmosfera de uma capela ou igreja tranquila, o cheiro de incenso e o esplendor da custódia para ajudá-lo a entender a verdade do que está acontecendo na Adoração. Estamos verdadeiramente diante de Jesus Cristo, Seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade. Quanto mais você afunda nesse silêncio na frente do Anfitrião, mais você perceberá que a única resposta é admiração e maravilha pela grandeza de nosso Deus.
Para tal é fundamental o silêncio, Deus está no silêncio e é afundando em silêncio adorador que podemos nos conhecer e conhecer a Deus. É preciso muita coragem, determinação interior e entrega para permanecer em silêncio diante de Deus e combater com Ele e diante dele todas as nossas imperfeições, mazelas e distrações. O verdadeiro louvor e adoração acontece no silêncio do coração, que deve ser ajudado pelo silêncio exterior, esse silêncio gera alegria verdadeira, que alimenta… muito diferente de euforia, que embora cause rompantes de emoção e choro, passa e não causa mudança interior efetiva.
Que diante do Senhor toda língua emudeça no Céu, na Terra e no Inferno.
 
2. Você experimenta a paz em outras áreas de sua vida
© Pete Slater / Flickr

Jesus disse: “A paz esteja convosco” (João 14:27). A paz externa que podemos experimentar na Adoração (o silêncio e a quietude) atinge muito mais. Isso leva a uma paz interior que afeta todas as áreas de nossas vidas. Isso não significa que tudo em nossa vida seja perfeito e sem sofrimento, mas a paz de Cristo significa que sabemos que as tempestades da vida não podem nos abalar.
3. Você começa a olhar para o exterior
© Ronnie Macdonald / Flickr
Jesus nos disse para “amar uns aos outros como eu vos amei”. (João 13:34) Passar o tempo na Adoração nos conecta com o mundo inteiro – afinal, estamos passando um tempo com o Criador de todas as coisas! Mais tempo louvando e adorando a Deus significa que você pode olhar além de suas próprias preocupações e ver as necessidades dos outros em sua vida e no mundo em que vivemos.
 
4. Você pode ficar entediado às vezes! Pasme!
© Stuart Richards / Flickr

É normal! E é hora de crescer!
Haverá momentos em que a Adoração pode ser qualquer coisa, exceto gloriosa. Você se distrai, sua mente começa a vagar, você pode ouvir alguém chorando ao seu lado. Talvez no início, a Adoração estava cheia de sentimentos maravilhosos, mas depois… não! Adoração regular é fazê-la um hábito, faz parte da rotina, o que pode levar deixá-la sem brilhos especiais… sim é verdade. Mas isso não desvaloriza ou tira a verdade do que é Adoração.Nossa fé é mais do que sentimentos e Deus ainda estará trabalhando em você. Esta é a beleza da Encarnação – Deus se fez homem, entrando em todos os nossos estresses, medos, problemas – e sim, também no tédio. Saiba que, mesmo que em uma hora passada na Adoração você se veja retornando a Ele a cada poucos minutos, quando sua mente vagueia, você ainda está dando a Deus o melhor presente que você pode – seu tempo e companhia.
E lembre-se, apesar dessa onda sentimental que permeia a vivência da fé hoje na Igreja, a fé católica não se baseia em sentimentos, em escutar Deus falando com você a todo tempo, em ver luzes, pessoas, anjos de luz ou a Santa Virgem (se é que são mesmo eles). A história dos santos e da Igreja mostram justamente o contrário, Deus realmente se cala muitas e muitas vezes, nos mostra as coisas mais por fatos da vida cotidiana que por sinais sobrenaturais e sim você pode ir para a Adoração e sentir sensações agradáveis como pode – e vai acontecer muitas vezes – não sentir nadaE está tudo bem, basta perseverar, deixar de acreditar em sensibilidades bestas e ter fé, não somos uma religião que visa o bem estar sensível, sinto muito, mas é verdade. O justo vive pela fénão precisamos de sinais, de prodígios, de arrebatamentos, de visões e sinais sobrenaturais para amar e adorar a Deus.Fé que precisa de tal coisa não e fé. E não acredite em todo mundo que diz ver e escutar coisas, leia mais a vida dos santos e perceba que a ação de Deus possui alguns sinais, alguns trajetos que muitas pessoas em seus rompantes, baseados em pensamentos que não vem da fé católica, se esquecem ou simplesmente ignoram pois nunca leram a vida completa de um santo que seja.
Portanto, vamos amadurecer na fé! Pois todos que se baseiam em sensibilidades, em sentir um quentinho no coração, acabam por abandonar a barca de Pedro em algum momento, quando não sentem mais nada e passam buscar em outros lugares, como alguém viciado em sensações. Se sua alma esta assim, sugiro que peça a Deus a cura para esse mal tão escravizante.
5. Você se anima para Adorar
© Alexandre Normand / Flickr

Quanto mais tempo você gasta na Adoração, descobrindo que Deus é um Deus que o ama e quer passar o tempo com você, mais você começa a desejar realmente ir adorar e ficar com Ele. Se a Adoração já tornou uma tarefa cotidiano para você, você pode se ver empolgado para ir! A adoração é aditiva, não apenas por causa das coisas que podemos ganhar para nós mesmos, mas porque fomos criados para adorar. Como dizemos na Missa, é “certo e justo” que devemos agradecer ao Senhor! A adoração está impressa em nossos corações e “nossos corações estão inquietos até encontrarem nosso descanso nele”! (Obrigado, Santo Agostinho!)
6. A graça entra em sua vida
© Theophilos Papadopoulos / Flickr
É incrível como um simples e curto período de Adoração regular faz uma diferença tão grande para o resto de sua vida. Você pode levar esse momento de estar em Sua presença com você muito depois de ter deixado a igreja ou a capela. Sua graça o sustenta em todos os momentos, especialmente nos momentos de tentação. A tentação torna-se mais fácil de resistir quando você está gastando mais tempo na Adoração.
7. Você percebe o quanto é afortunado
© Raffaele Esposito / Flickr

Se é tão simples para você entrar no carro e dirigir para Adoração na igreja, ou mesmo caminhar até a capela nas proximidades, você é afortunado e percebe isso. Há aqueles que gostariam de passar mais tempo com Jesus na Adoração, mas que são estão doentes ou ocupados. Depois, há pessoas ao redor do mundo que realmente arriscam suas vidas pela Eucaristia, em lugares onde são perseguidos por sua fé. Quando você se lembra daqueles que caminham por horas ou dias em situações perigosas para estarem presentes com Jesus, você percebe como é um presente poder orar abertamente, para não mencionar ter um sacerdote para ministrar os sacramentos. Gostando ou não dele, ele é um sacerdote e deve ser amado, afinal graças as mãos ungidas dele temos a Santíssima Eucaristia.
8. Você percebe que Deus tem senso de humor (e muito!)
© Michael Podger / Flickr
Quanto mais você puder sentar e deixar Deus falar com você (em vez de gastar todo o seu tempo preenchendo o silêncio com a conversa com Ele ou músicas fortes ou ministrações ou falatórios ou barulho), você descobrirá que Deus tem um enorme senso de humor. Ele gosta de uma piada ou duas, e às vezes esses momentos são divertidos o bastante para fazer você querer rir alto.
 
Lembrando que isso não é uma vivência mística, estou batendo muito nesse ponto, pois tem pessoas querendo vanglória em coisas corriqueiras da vida de oração, basta se atentar ao que Deus faz, nos sinais da vida cotidiana e simples que Ele dá, pra cair de rir com o humor Dele ao nos guiar.  E isso fica claro quando se tem uma vida de oração. Isso não é mistica sobrenatural, é vivência normal de quem se relacionada com Jesus ou se esforça. Pois Ele é Pai e nos orienta quando nos propomos a escutá-lo, Portanto, isso não é ver coisas, não é vê-lo literalmente contar piadas ou ainda uma locução interior, que muitos dizem que tem mais esta mais para uma atenção renovada sobre as coisas da vida, os acontecimentos e os chamados de Deus pela consciência, do que para locução interior.
Portanto, menos meu povo, mais humildade e menos fascínio em eventos sobrenaturaise visões. Como ensina São João da Cruz, que era místico de verdade, a alma que quer se unir a Deus deve buscar, nada, nada e mais nada em relação a benefícios e visões sobrenaturais. O mesmo diz Santa Teresa D’avilla que a alma que busca muito desses benefícios acaba árida. E ainda vale a observação de que verdadeiros místicos não saem por aí contando suas experiências, muito menos no microfone, eles são encaminhados para um bispo ou no mínimo um sacerdote por essas mesmas visões ou revelações e assim como ensinam os santos se isso não acontece pode ser muito bem ação de Satanás.
Portanto, vamos seguir os conselhos dos santos que pelo caminho rumo a Deus passaram antes de nós e se deram ao trabalho de nos deixar setas e não buscar sensibilidades, mas unicamente ver a Deus nas coisas corriqueiras e cotidianas, quer um milagre mais grandioso que esse? Essa é a forma de espiritualidade mais elevada que podemos almejar.
9. Você terá desejo de se confessar mais!
Isso pode parecer assustador, mas não é. A confissão nos permite experimentar o poderoso oceano ilimitado que é a piedade de Deus. Sua misericórdia engole todos os nossos pecados e nos dá um verdadeiro tipo de liberdade, uma liberdade sem medo, o que nos permite dar um salto ao Seu amor e bondade, com todos os seus planos perfeitos para a nossa vida. Ir à Confissão reforça o conhecimento de que estamos pulando nos braços de um pai que nos ama muito e “nunca se cansa de nos perdoar”. (Papa Francisco).
Quando mais nos aproximamos de Deus mais consciência de nós mesmos temos.
10. Você se apaixona
© François Philipp / Flickr

Nas pinturas antigas a alma sempre era representada pela mulher e Deus pelo homem. Seu encontro  nas pinturas era o encontro da alma com o Criador.
Quando você passa mais tempo com um coração aberto na Adoração e simplesmente deixa Cristo te amar, então você também se apaixonará. Esse amor irá definir você e permitir que você seja você mesmo.“Eu vim para que tenham vida, vida em toda a sua plenitude” (João 10:10).
A Adoração verdadeira transforma tudo interiormente e externamente. Essa deverá ser nosso norte para observar a adoração que fazemos, será ela realmente adoração, nos transforma, muda? Como água em vinho no silêncio do líquido que passou de um barril para outro?

Oração a Jesus Solitário no Santíssimo Sacramento

     


Oh! Divino Jesus! que durante a noite estais solitário em tantos tabernáculos do mundo, sem que nenhuma de vossas criaturas vá visitá-Lo e adorá-Lo.
Eu vos ofereço meu pobre coração, desejando que todas as suas pulsações sejam de amor e adoração.
Vós, Senhor, estais sempre sob as espécies Sacramentais, vosso amor misericordioso nunca dorme nem se cansa de velar pelos pecadores.

Oh! Jesus amantíssimo!, Oh! Jesus solitário!, fazei meu coração qual lâmpada acessa; em caridade se inflame e arda sempre em vosso amor.
Velai Oh! sentinela Divino!, velai pelo mísero mundo, pelos sacerdotes, pelas almas consagradas, as extraviadas, pelos pobres enfermos cujas noites intermináveis necessitam de vossa fortaleza e vosso consolo, pelos moribundos e por este vosso humilde servo que, para melhor servir-vos, descansa mas sem deixar pensar em Vós, em vosso Sacrário... onde vives na solidão e no silêncio da noite.


Seja sempre bendito, glorificado, adorado, amado e reverenciado o Coração Sagrado de Jesus em todos os Sacrários do mundo. Amém. 

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Como o exercício físico pode ajudá-lo a crescer espiritualmente


Ex-aviador, fanático por CrossFit e padre compartilha suas dicas para sermos saudáveis ​​em corpo e espírito

A importância do exercício e da forma física é algo que é mais provável ouvir no escritório do médico do que na igreja, mas o Pe. Stephen Gadberry diz que o bem-estar físico e espiritual estão entrelaçados.
Pe. Gadberry,  da paróquia de St. Mary em Batesville, Arkansas, e na Igreja Católica de St. Cecilia em Newport, Arkansas, diz ter sido abençoado com “uma dose dupla do Espírito Santo”. Criado em uma fazenda no Arkansas, ele aprendeu o valor do trabalho físico e sempre praticou esportes. Ele serviu na Força Aérea dos EUA antes de entrar no seminário e faz CrossFit desde 2007. Ele  recentemente compartilhou conosco o seu conselho e experiência sobre como podemos fazer um exercício espiritual:
Como o nosso bem-estar físico e espiritual está relacionado?
Pe. Gadberry: Nosso bem-estar físico e espiritual está intimamente conectado. Atenção, dedicação e paciência são necessários para o desenvolvimento completo de ambos. As virtudes adquiridas em uma área da vida afetam a forma como eu vivo em outras áreas da vida. Por exemplo, ter uma vida de oração disciplinada e estruturada torna mais fácil seguir um programa de exercícios disciplinado e estruturado. Do outro lado da moeda, o que aprendi sobre paciência, trabalho árduo e foco através do exercício físico me ajuda a manter o foco nas tarefas diárias que são mais espirituais, emocionais e psicológicas.  
Isso também é verdade para nossos vícios. Se não consigo praticar moderação com alimentos, bebidas, internet ou outras ações diárias, provavelmente não conseguirei me concentrar na oração ou perseverar em momentos de desolação espiritual e emocional.
Desde a ordenação ao sacerdócio, fiquei mais consciente desse relacionamento físico-espiritual. O sacerdócio não é uma vocação que exige porte físico; ao invés disso, requer muita energia espiritual, psicológica e emocional. Depois de um longo dia de ministério, sinto um grande desequilíbrio ao gastar a energia espiritual e ainda ter uma quantidade razoável de energia física. Exercitar e gastar essa energia física me coloca em equilíbrio.
Nós tentamos manter nossas igrejas bonitas, bem conservadas, e propícias à oração, porque elas são a “casa de Deus”. Se o corpo é o templo do Espírito Santo (cf. 1 Cor 6,19), nós não devíamos tentar mantê-lo bonito, bem conservado e propício à oração? Se a minha alma está fora de ordem, meu corpo sente o estresse. Se eu estou em um estado pobre no exterior, provavelmente estou em um estado pobre interiormente. Alma forte. Corpo forte.  
Você incorpora a oração em seus exercícios?
Pe. Gadberry: Raramente começo ou acabo o exercício com uma oração formal como um Pai Nosso ou Ave Maria. Isso não significa que eu não reze, no entanto. Pelo contrário. Muitos santos falaram sobre a oração como uma conversa com Deus. Durante meus exercícios, estou orando quase sem parar, conversando com o Senhor. Muitas vezes, me lembro de eventos anteriores do dia ou dos dias anteriores e falo com Ele sobre esses eventos. Considero os próximos eventos ministeriais e peço orientação sobre isso.
Eu tenho um crucifixo na minha academia (que fica na minha garagem) e muitas vezes olho para ele durante meus exercícios. Isso me ajuda a continuar me movendo e me empurra mesmo quando eu quero parar. Talvez eu não consiga assumir uma verdadeira cruz e seguir a Cristo, mas certamente posso pegar uma barra e suar ao lado dele!
Você tem algum truque para nos motivar a exercitar?
Pe. Gadberry: Gosto de jogar jogos quando faço exercícios. Na maioria das vezes, diz respeito à forma como eu conto ou como rotulo a rotina de treino. 3, 7, 10, 12 e 33 são números comuns que eu uso por causa de suas ocorrências bíblicas – 3 Pessoas da Trindade, 7 Dias de Criação, 7 Sacramentos, 10 Mandamentos, 12 Apóstolos, Cristo tinha aproximadamente 33 anos quando morreu por você e por mim.
Eu também “conto” dizendo nomes… então eu não penso em fazer algo 10 vezes; ao invés disso “vou contando” dizendo “Pai, Filho, Espírito, Maria, José” duas vezes. É divertido, me distrai e conta como uma oração.  
O exercício às vezes nos faz sofrer! Você usa isso de alguma forma espiritualmente? 
Pe. Gadberry: Absolutamente. Ajoelhar-se não é a única postura para a oração. Qualquer coisa pode ser oferecida ao Senhor como oração e oblação. Ao me exercitar, especialmente durante um árduo dia de exercício, eu vou oferecer a dor e o suor para os indivíduos e para os vários pedidos e intercessões solicitados.
Em 2012, rasguei um ligamento, quebrei um osso do meu tornozelo e machuquei meu tímpano, tudo dentro de um período de dois meses. Não ser capaz de andar ou ouvir corretamente por um momento realmente me afetou. Através desses contratempos físicos, encontrei-me no ponto mais baixo da minha vida emocional e espiritual. Os ferimentos em si eram indiferentes. Por meio deles, porém, o Senhor me ensinou muito sobre gratidão, alegria e amor. O Senhor me convidou para fazer muita pesquisa naquela época. Isso me fez crescer espiritual e emocionalmente.
Durante esse tempo, comecei a notar como os outros eram administradores do seu bem-estar físico. Aqueles que pareciam ser “bons administradores” me deram uma grande esperança, enquanto outros que pareciam ser “maus administradores” me desanimaram. A forma como eu vivo afeta os outros. Cristo carregou sua Cruz ao Calvário. Embora ele tenha caído três vezes, ele não desistiu e finalmente alcançou seu objetivo. Outros estão assistindo: o que estou fazendo?
Existem santos particulares que se exercitaram ou foram ativos que você se inspira?
Pe. Gadberry: Absolutamente! Assim como eu tenho inúmeros heróis esportivos, tenho uma série de santos e abençoados que eu invoco: São José, porque ele provavelmente levantou coisas pesadas enquanto trabalhava; Abençoado Pe. Stanley Rother, por causa de sua determinação pastoral, zelo e altruísmo. Beato Pier Giorgio Frassati e o Servo de Deus Frank Parater, por causa de seu entusiasmo juvenil e alegria. São Sebastião, porque ele é meu santo padroeiro da Confirmação, bem como o patrono dos atletas.
Algum pensamento final?
Pe. Gadberry: Não subestime a importância de viver uma vida equilibrada e saudável. Deus nos criou para termos vidas felizes, santas e saudáveis. Só podemos ser verdadeiramente felizes e alegres se somos verdadeiramente santos e saudáveis. A saúde de nossa alma é muito afetada pela saúde do nosso corpo e vice-versa. O tempo gasto no nosso bem-estar físico nunca é desperdiçado. O discipulado intencional requer atenção e dedicação. Deixar cair nossas redes não exige muito esforço físico, mas seguir a Cristo exige muito de você. Todos os nossos corpos passarão, mas nossas almas viverão. Quanto mais formos saudáveis, mais tempo viveremos. Isso nos dará mais tempo para amar e ser as mãos e os pés de Cristo, mais tempo para sermos seus discípulos aqui na Terra, para que possamos estar com Ele por toda a eternidade!

https://pt.aleteia.org/2017/12/04/como-o-exercicio-fisico-pode-ajuda-lo-a-crescer-espiritualmente/?utm_campaign=NL_pt&utm_source=daily_newsletter&utm_medium=mail&utm_content=NL_pt

Formação sobre Intercessão Católica 4#


Resultado de imagem para interceder

O grande Tertuliano de Cartago nos direciona a vivenciarmos momentos constantes de oração e escuta, ações que nos conduzem a um enfrentamento interior com nossos medos, permitindo assim um reconhecimento verdadeiro de todas as nossas falhas e fraquezas que nos permitirá uma real reconciliação com o Senhor. Esse processo de purificação nos conduz a uma intimidade com Deus. O elemento necessário para que o Espírito Santo se manifeste e através de nós chegue aos outros, é aceitar que não somos a verdade, mas sim, portadores Dela. 

“Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que eu leve a fé” 

Pergunto: como adquirir esse sentimento que movia São Francisco, Madre Teresa e tantos outros? Como deixar a minha dor para viver a dor do outro? São Francisco dizia que “fomos enviados para curar os feridos, unir os que estão separados, mostrar a verdade aos que estão perdidos no erro”. Volto a perguntar: Como posso interceder se sou o primeiro necessitado? 

Começamos a vislumbrar a resposta a partir do momento em que nos tornarmos “um com a Trindade”. Jesus já ensinou o caminho quando disse: “Eu não vim para ser servido”, ou quando falou: “Renuncia a ti mesmo...” e “Ame o próximo como a ti mesmo”. No livro do Eclesiástico encontramos o texto que diz: Se não usa de misericórdia para com o seu semelhante, como se atreve a pedir perdão de seus próprios pecados?” 

É fácil perdoar quando nos sentimos perdoados, é fácil amar quando nos sentimos amados. Se eu identifico no irmão o pecado, o medo, a insegurança e a culpa, é porque eu as vivo e as tenho. Julgar, condenar e afastar o irmão por isso é assumir o meu receio de que ele venha a descobrir o quanto eu sou fraco e incapaz. Acontece que é urgente descobrirmos o quanto somos limitados e imperfeitos para que Deus possa começar a agir em nós e para que possamos mais rapidamente acolher o irmão. 

Ser um intercessor e construir ponte que proporcione os outros chegarem ao Céu, é missão de todos nós, mas como dizia Teresa de Calcutá: “Palavras que não trazem a luz do Cristo aumentam as trevas”. Para nos colocar a serviço de Deus e sermos fieis ao seu projeto é necessário conhecimento, temos que nos preparar da mesma forma que um soldado se prepara para guerra. Só nos doamos por inteiro quando temos a convicção de que aquele pelo qual nos entregamos, é quem verdadeiramente nos completa...

Ricardo Feitosa e Marta Lúcia 

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

O Mercado Em Que Satanás Colhe Muitas Almas

Nenhum texto alternativo automático disponível.
"Mais enquanto os homens dormiam, veio o inimigo (o diabo, o inimigo de Deus), semeou joio no meio do trigo (Mt 13,25). Padre Gabriele Amorth como assim, em um dos capítulos do seu livro "Novos Relatos de um Exorcista". Falando sobre a ação forte e continua que o demônio tem em confundir os filhos de Deus.
Meus Irmãos, é fato que vem acontecendo, aos poucos, ao longo dos anos, mas que acontece em nossos dias na forma mais desconcertante porque, ao contrario do que está escrito na parábola, hoje já não se quer acreditar na existência do joio nem - muito menos - na existência do inimigo, o diabo. Mas é necessário dizer que o sono dos servos se tornou "muito pesado".
Abaixo segue um testemunho contido no livro "Novos Relatos de um Exorcista":

INFLUÊNCIA NEFASTA DE CERTAS MÚSICAS
Vários autores católicos já preveniram das consequências nefastas do rock satânico. Recordo especialmente de Piero Montero, Satana e lo stratagemma della coda, Ed. Segno; Corrado Balducci, Adoratori do Satana, Ed. Piemme. Transcrevo alguns traços fundamentais, extraídos da revista Lumiére et Paix, maio-junho 1982, p. 30.
"Existe, nos Estados Unidos - depois, estendeu-se à escala internacional - uma associação chamada WICCA (traduzida, esta sigla significa: Associação dos Bruxos e Conjurados). Os compomentes desta associação são numerosíssimos, possuem três companhias discográficas e cada disco tem por objetivo contribuir para a desmoralização e para a desorganização interior da psicologia dos jovens. Praticam o satanismo e consagram-se à pessoa de Satanás
Cada um destes discos descreve exatamente os estados de alma que convêm aos discípulos de Satanás e convida as pessoas a celebrarem a sua glória, a sua honra e o seu louvor. Há também um grupo famoso, muito famoso, cujos membros também pertencem a uma seita satânica da região de San Diego, divulgam em muitas de suas músicas - embora não em todas elas - os mesmos princípios, porque são sempre pessoas consagradas ao culto de Satanás.
Outra organização, também muito conhecida, é a de Garry Funkell, que produz o mesmo tipo de música. Estes grupos têm, sobretudo, o objetivo de divulgar os discos que têm por finalidade conduzir os jovens ao satanismo, ou seja, ao culto de Satanás.
Os discos consagrados a Satanás baseiam-se em quatro princípios:
- Primeira coisa: é importante o ritmo, chamado beat, que se desenvolve seguindo os movimentos da relação sexual. Repentinamente, os ouvintes sentem-se envolvidos numa espécie de frenesi. É por esse motivo que se registram muitos casos de histeria, produzidos pela escuta contínua desses discos; é o resultado que se obtém exasperando o instinto sexual por intermédio do beat de que falamos
- Em segundo lugar, usa-se a intensidade sonora, deliberadamente escolhida de maneira a atingir uma força de sete decibéis acima da tolerância do sistema nervoso. Está tudo muito bem calculado; quando nos sujeitamos a esta música durante algum tempo, logo em seguida, a pessoa passa por um certo tipo de depressão, de rebelião e de agressividade, de tal modo, que se chega a certas atitudes, dizendo sem tomar consciência: "No fundo, eu não fiz nada de mal: só ouvi um pouco de música na balada". (Assim acreditam, também, muitos pais e educadores, totalmente inexperientes neste campo) Mas trata-se de um método previsto e bem calculado, que visa exasperar o sistema nervoso e, desse modo, leva à obtenção de um resultado bem determinado: levar os ouvintes a um estado de confusão e de desordem, que os impele a buscar formas de realizar o beat, ou seja, o ritmo que ouviram durante a balada; e é assim que se chega, também, a recrutar novos adeptos a iniciar no satanismo. Este é o objeto final dos seus autores.
- O terceiro princípio é transmitir um sinal subliminar. Trata-se de transmitir um sinal elevadíssimo, muito acima da capacidade do ouvido, um sinal supersônico, que atua no inconsciente. É um som importuno, da ordem dos 3.000 quilohertz por segundo, que não é possível captar com os nossos ouvidos, precisamente por ser supersônico; desencadeia no cérebro uma substância, cujo efeito é exatamente idêntico ao da droga, mas uma droga natural, produzida pelo cérebro, depois que aqueles estímulos são recebidos, mas de que não se dá conta. Num determinado momento, a pessoa sente-se estranha... Esta sensação incômoda induz a pessoa a procurar a droga propriamente dita ou a tomar doses maiores, caso já faça uso dela.
- Ainda há um quarto elemento: a consagração ritual de cada disco, no decurso de uma missa negra. De fato, antes de cada disco ser lançado no mercado, é consagrado a Satanás com um ritual particular que é uma forma autêntica de missa negra.
Se já parou para analisar as palavras destas canções (palavras que, por vezes, estão escondidas e apenas são perceptíveis se ouvirmos o disco na rotação contrária - ndr), percebemos que os temas gerais são sempre os mesmos: rebelião contra os pais, contra a sociedade e contra tudo o que existe; libertação de todos os instintos sexuais; a possibilidade de criar um estado anárquico para fazer triunfar o reino de Satanás. Basta tomar, por exemplo, a canção Hair, para encontrar quatro partes dedicadas ao culto de Satanás.
Depois de tudo o que dissemos, quem ousaria negar o perigo das influências do Maligno que conta com tantos cúmplices no caminho da rebelião e do ódio? Lemos no Apocalipse: "E furioso contra a Mulher, o dragão foi fazer guerra contra o resto da sua descendência, isto é, os que observam os mandamentos de Deus e guardam o testemunho de Jesus" (Ap 12,17).
Meus irmãos, o inimigo de Deus não atua só no rock mais também em toda área do entretenimento, nas mídias em geral. Hoje vemos tanta falta de modéstia e pornografia nos programas de TV suscitando os jovens a cair no pecado contra a castidade, tantos livros que afetam a vida moral e espiritual desses jovens. Fiquem atentos, orai e vigiai para não ser enganado pelo inimigo de Deus.
Que Deus nos dê sabedoria e inteligencia para que não sejamos enganados e bestializados pelo demônio.
"Apego-me em vossas ordens Senhor, não permitas que eu seja confundido" (Sl 118, 31)

Salve Maria Puríssima!

https://www.facebook.com/groups/filhosespirituaisdepepio/permalink/585671955102847/

Você já ouviu falar de um santo que é o “Patriarca do Silêncio”?


Que grandes lições e que objeto de sérias meditações nos oferece o silêncio do Santo Patriarcal!

O que mais impressiona em São José é o silêncio profundo da sua vida. Tudo em torno dele é humildade, simplicidade e silêncio.
O Evangelho fala pouco de José. Durante séculos, esteve quase desconhecido o culto do Santo Patriarca. Os apóstolos e os mártires tiveram os seus nomes triunfantes na Igreja e no esplendor das pompas litúrgicas. São José sempre esteve oculto.
Começam as manifestações brilhantes do seu culto só no século XV. Não fora a luz do mundo como os apóstolos nem a voz que anunciava aos homens as maravilhas divinas da Redenção. São José teve outra e bem diferente missão, disse Bossuet (1): havia de ser o silêncio de Deus, o véu do templo que envolve o adorável mistério da Encarnação, a virgindade de Maria e a majestade de Jesus Cristo.
O silêncio, disse o P. Faber (2)sempre foi o adorno da grande santidade. Encerra em si algo divino. Quase toda vida humana de Jesus esteve marcada com o silêncio. Também Maria e José tomaram de Jesus este silêncio cheio de beleza e de doçura.
Que grandes lições e que objeto de sérias meditações nos oferece o recolhimento, o silêncio do Santo Patriarcal!
Adorável mistério exclama na sua eloquência a águia de Meaux.
José possui em sua casa o objeto que pode atrair os olhares e a admiração de todo o Universo e o mundo o ignora. Possui o seu Deus e não deixa escapar a mais leve insinuação. É testemunha do mais portentoso mistério, o da Encarnação, e nem sequer o deixa transparecer.
Os Magos, os Pastores em Belém, o Profeta Simeão e Ana no templo publicam as grandezas do Filho de Maria. José se conserva em absoluto, em profundo silêncio. Poderia dar testemunho do mistério da Encarnação e do nascimento miraculoso de Jesus. Que pai poderia ficar calado diante das maravilhas de tão grande Filho? E no entanto, apesar de tantas almas haverem celebrado com zelo e entusiasmo a glória de Jesus, nada teve o poder de fazer abrir a boca a São José para o obrigar a revelar o segredo de Deus que lhe fora confiado.
Admirável silêncio! Que humildade heroica! Houve na terra Santo mais humilde, mais obscuro, mais silencioso?
São José foi, realmente, a sombra do Pai Eterno, diz Hernert Hello(3),  aquele sobre o qual projetou densa e profunda a sombra do Pai.
São José, o homem do silêncio! O Patriarca do silêncio!
___
Notas:
(1) Premier Panegyrique de S. Joséph.
(2) Belém
(3) Physionomiedes Saints: Saint Joséph.

Fonte: Do livro “São José” de Mons. Ascânio Brandão, Via AASCJ

Formação sobre Intercessão Católica #3

Resultado de imagem para intercessões
Adicionar legenda


Intercessão Católica

Interceder é deixar fluir o sentimento de plenitude, de sentir o gozo no bem estar do próximo, de permitir desabrochar o nosso melhor em favor do irmão desconhecido que jamais poderá nos dar nem o seu “muito obrigado”. Como diz São Paulo: “Isso é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador”. Contudo a uma observância que não podemos permitir que passasse a brancas nuvens: “que os homens orem em todo lugar, erguendo mãos limpas, sem ira e sem discussões”. 

Mesmo sendo necessária e acima de tudo agradável aos olhos de Deus a intercessão, é da mesma forma imprescindível lembrar-se da música que diz: “Senhor, quem entrará no santuário pra te louvar? Quem tem as mãos limpas e o coração puro, quem não é vaidoso e sabe amar”. Não tem como um coração escravo do pecado, coberto pela ira, entorpecido pela soberba, se deixar conduzir pelo Espírito Santo. 

Estando na presença de Deus devemos em primeiro lugar fazer um “Ato de Contrição” nos reconhecendo pecador; sabia foi a atitude do publicano: “O cobrador de impostos ficou à distância, e nem se atrevia a levantar os olhos para o céu, mas batia no peito, dizendo: 'Meu Deus, tem piedade de mim, que sou pecador!” (Lc 18,13). Só podemos pedir misericórdia para os irmãos, quando sentirmos essa misericórdia fluindo em nossas veias. Como intercessores, só podemos pedir que Deus seja “um com o irmão”, quando tivermos primeiro a certeza de que “somos um com Deus”. Isso não significa que o Pai condicione as bênçãos, mas que Ele nos quer livres para sabermos aproveitá-las. 

Diz Tertuliano em seu tratado sobre a oração: “Devemos estar livres não somente da cólera, mas de toda perturbação da alma, quando nos entregamos à oração, que há de ser feita com um espírito semelhante ao Espírito ao qual se dirige. Um espírito não purificado não pode ser reconhecido pelo Espírito Santo. Nem um espírito triste pelo alegre Espírito de Deus. Nem um espírito perturbado, pelo Espírito da liberdade (2Cor 5,17). Ninguém acolhe um adversário; hospeda-se apenas um amigo. Consideremos, pois, irmãos abençoados, a celeste sabedoria de Cristo, que se manifesta, em primeiro lugar, pelo preceito de orar em segredo (Mt 6,6). Por aí Cristo induzia o homem a acreditar que o Deus Onipotente nos vê e nos escuta em toda parte, mesmo em casa e nos lugares mais escondidos. Ao mesmo tempo, ele queria que a nossa fé fosse discreta, de modo que, confiante na presença e no olhar de Deus em toda parte, reservasse o homem só a Deus a sua veneração...

Ricardo Feitosa e Marta Lúcia 

ESTE BLOG É DEDICADO À:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...